Trechos #1

Olá galerinha!

Tudo bem com vocês? Espero que sim!

Estou iniciando hoje, uma sessão no blog chamada 'Trechos'. Nessa sessão, irei publicar partes de algum livro que li ou que quero ler que achei interessante, intrigante ou que tenha me balançado de alguma forma. 

Vou começar por um livro que está na minha #wishlist -----  caras como eu , a manhã seguinte sempre chega, de Gabito Nunes.

Autor: Gabito Nunes
Editora: Leitura
Categoria: Relações Interpessoais
Páginas: 240

O AMOR - Quando novamente encontramos

Amanhã seguinte sempre chega

(...) É bonito de se ver. A gente hoje se respira, se envolve feito leite e café, corremos na direção do outro sem medo de atravessar-se numa colisão violenta onde nenhum de nós desafia evitar. Eu quero me tornar no que te agrada, fazê-la de meu vento, e você me questiona sobre cores, filmes, texturas, lugares, cantores latinos, tamanhos, ritmos e sabores favoritos de pipoca.

O cinema espera, mal conseguimos vencer o trecho da rua, usamos o máximo de tempo cruzando uma distância percorrível em segundos, nos abraçando, trocando afagos, indo um contra o outro. Perto de seus olhos, eu vejo, parece, eu sinto, sou você. E você sou eu. E esse querer é uma noite apaixonada de sexo com um dia seguinte, onde cada qual toma seu rumo. No melhor estilo Milan Kundera, nos amaremos para todo o sempre, até que uma manhã dessas seja a seguinte. (...) Assim como todo romance verdadeiro, construído sem perceber, a manhã seguinte ainda vai desanuviar, metaforicamente, amanhecendo a cada novo ''alô, quem fala?'', a cada palavra não dita, a cada pensamento reprisado, cada dia mais frio, como se entrássemos na cena derradeira sem nem perceber que era um filme, posto que é chama, nos fazendo presas fáceis do sofrimento, da decepção. Não adianta, vou desapontá-la. Um dia, vou deixar você cair. E você também vai. É assim.

Vamos espernear, trocar acusações, fungar, cobrar pelas promessas mudas com juros e correção, mas entender que todo amado é livre, se locomove nos próprios tornozelos e ombros sob um céu de baunilha. Por mais dentro um do outro que estejamos hoje, voltaremos a nos comunicar com a solidão. A música do John Mayer acaba, um chora água e o outro chora óleo, a manhã seguinte sempre chega. (...)


Sobre o Autor ---- Além de escritor, Gabito Nunes é um homem que gosta de discutir a relação. Nasceu em Porto Alegre e trocou a rotina de dono de agência para se dedicar exclusivamente à tarefa de redator. Criou seu próprio ensaio literário na internet e, em pouco tempo se impôs como um dos cronistas de maior empatia da web. Quer saber mais? Acesse: Gabito Nunes.


É isso aí galerinha! Em breve, novos trechos para nos deliciarmos e atiçar nossa vontade de ler coisas novas!



Até a próxima!

Nenhum comentário :

Postar um comentário