[Resenha] A casa das Orquídeas

Olá!

Preparem-se para a resenha de A casa das Orquídeas. O livro é simplesmente surpreendente.



Resenha: A casa das Orquídeas
Autora: Lucinda Riley
Editora: Novo Conceito

Sinopse: Quando criança, a pianista Júlia Forrester passava seu tempo na estufa da propriedade de Wharton Park, onde flores exóticas cultivadas pelo seu avô nasciam e morriam com as estações.
Agora, recuperando-se de uma tragédia na família, ela busca mais uma vez o conforto de Wharton Park, recém-herdada por Kit Crawford, um homem carismático que também tem uma história triste. No entanto, quando um antigo diário é encontrado durante uma reforma, os dois procuram a avó de Júlia para descobrirem a verdade sobre o romance que destruiu o futuro de Wharton Park... E, assim, Júlia é levada de volta no tempo, para o mundo de Olívia e Harry Crawford, um jovem casal separado cruelmente pela Segunda Guerra Mundial, cujo frágil casamento estava destinado a afetar a felicidade de muitas gerações, inclusive da de Júlia.


Minhas impressões...

Uau! Não acaba nunca, por favor! Essa foi a minha reação ao ler esse romance indescritível.
É uma história rica em detalhes e no fim, é quase impossível acreditar que tudo que fora narrado não tenha ocorrido de verdade.
A casa das Orquídeas abrange um pouco de muitos sentimentos – lealdade (ou não), arrependimentos, decepções, esperança, superação, segredos e acima de tudo, o amor. Incondicional. Um amor que por gerações deixou rastros quase irrecuperáveis, a não ser por um segredo que no fim, trouxe esperança à Wharton Park e às vidas que ali estavam envolvidas.

“Fico sentada na biblioteca, tentando compreender a história que acabei de ouvir. Uma trágica história de amor, decepção e dor. Uma história da qual eu pareço ser o resultado direto (...). Ainda assim, embora o relato que ouvi seja chocante e revelador, percebo que estou calma. Essa casa, Wharton Park, sempre fez parte de mim, apesar de eu nunca ter sabido o porquê. É simplesmente o lugar ao qual sempre senti que pertencia”.

Júlia é uma pianista de sucesso. Sua carreira sempre significou muito para ela, pois foi no piano que ela encontrou a essência de si mesma. Mesmo após a constituição de sua família, ela continuou brilhando nos palcos pelo mundo. Ela tem uma irmã, Alicia. No qual, sempre teve o espírito protetor, em função da morte de sua mãe, quando ainda eram jovens. Júlia, sempre se incomodou com o jeito da irmã – mal sabendo ela que o futuro não pouparia nem mesmo Alicia.  Seu pai, um botânico também renomado sempre fora ausente em vista das viagens que seu trabalho exigia.

Mas, como a vida prega peças, com Júlia não seria diferente. Em uma de suas viagens a trabalho, ela recebe uma notícia que mudaria para sempre o rumo de sua trajetória.  A partir daí, ela teria que reconstruir sua vida, se reestabelecer moral, sentimentalmente e profissionalmente. E onde, ela descobriria que nem tudo que parece é e que nunca é tarde para viver e começar do zero.

Voltando ao passado, a Wharton Park foi cenário onde muitas gerações viveram... Uns, foram unidos por amor. Outros, apenas por cumprir um dever. Entre esses estavam Olivia e Harry. O enredo de vida desses dois personagens é marcado por segredos, angústias e aparências. Olivia casou por amor. E ela imaginava que Harry também... Até que uma série de acontecimentos a provam o contrário. Mas, pelo bem da família Crawford e da tradição decidiu guardar para si seus sentimentos. A guerra devastou a vida de Olivia e Harry e culminou em revelações muito tempo depois...

Júlia passou a infância em Wharton Park e foi lá onde conheceu Kit, ainda criança. Kit seria o único herdeiro daquelas terras no futuro – ou não. Tudo muda quando Kit mais tarde, durante uma reforma encontra um diário que traz revelações que mudarão tanto a vida de Júlia, como a dele, bem como a de Wharton Park.

E por que, Casa das Orquídeas? Isso deixo para você, caro leitor descobrir. Garanto que irá se encantar e se surpreender. A história é vivida na Inglaterra, mas faz viagens pela Tailândia também. Enquanto a autora descreve os cenários paradisíacos e até os turbulentos, somos transportados para a magia da Índia do mesmo modo como conseguimos imaginar os quartos de Wharton Park e o clima seco e frio da Inglaterra.

Por fim, é um romance muito rico de detalhes e embora o livro seja de 500 e poucas páginas, o transcorrer da leitura ocorre de modo muito suave e chega ao fim, com gosto de quero mais.

A lição que o livro nos traz é que nada, absolutamente nada é mais importante do que o amor. Seja por outra pessoa, seja pela nossa família e porque não dizer, por nós mesmos? É preciso garra para recomeçar; é preciso humildade para reconhecer falhas; é preciso ser forte para superar os obstáculos que a vida nos impõe. E é preciso ser mais forte ainda abandonar os fantasmas do passado e seguir em frente.

Leitura mais que recomendada.  Há mais segredos nas páginas desse livro que você nem imagina. E há um amor também. Bonito e verdadeiro.

Quem já leu, deixa aqui sua opinião... Quem não leu, leia e conta pra gente!

Beijos,
Até a próxima!

2 comentários :

  1. Gente, estou louca por esse livro tem mt tmp e nunca compro.

    Clicandolivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Estou com este livro pra ler....vou começar essa semana mesmo!

    ResponderExcluir