Literatura Nacional - Vamos Conhecer?


Literatura Nacional - Vamos conhecer


Olá, tudo bem com você?

Hoje trouxe mais uma autora para nossa coluna Literatura Nacional - vamos conhecer?

 O livro da  vez é da autora  Luciane Z. Vieira, e esse é seu primeiro livro lançado.



No cenário do Antigo Egito, as vidas do príncipe herdeiro e da filha do sacerdote do deus Amon se cruzam, seus pais disputam poder na cidade mais importante do Egito. Ele criado para governar o país, ela retirada pela mãe de uma vida de conforto e luxo é criada escondida em uma vida de muitas dificuldades. A vida de Zeq é marcada pela crença popular que ele é filho de um deus e a vida de Naia é marcada pela descrença desde que a mãe mentiu ao dizer que seu pai estava morto, mas sua mãe na eminência da morte faz uma revelação, seu pai está vivo e lhe entrega uma prova disso. Preocupada com o estado da mãe e sem recursos ela comete um ato desesperado e furta alguns alimentos, na fuga é presa por um guarda do Faraó e levada ao calabouço. O que o futuro Faraó do Egito não imaginava é que ficaria fascinado pela beleza e personalidade da jovem. Naia tem o curso de sua vida drasticamente alterado, pois não sabe se odeia ou ama Zeq e terá que decidir se vive esse amor conturbado e assume a responsabilidade de se tornar a Princesa do Egito! Enquanto ela luta para definir seus sentimentos, tem que enfrentar traumas do passado, desconfianças e inimigos que tentam a todo custo atrapalhar seu relacionamento com Zeq.

Vamos conhecer quem escreve?

Nome: Luciane Z. Vieira 

Cidade: Guarulhos / São Pulo

Desde quando começou a escrever? 

 Quando tinha cerca de 10 anos de idade teve um concurso na escola e ganhei em segundo lugar, sendo que o primeiro lugar e o terceiro eram de pessoas mais velhas que já estavam no colegial.
 A partir desta iniciativa eu comprei um caderno para escrever poesias.

Como surgiu a ideia de escrever Fascínio Egípcio? 
 Eu sempre amei histórias épicas, li vários livros, mas o que sempre mais me encantou foram as histórias do Antigo Egito. Fascínio Egípcio surgiu na minha cabeça e eu não conseguia pensar em outra coisa, para tirá-lo de minha mente resolvi escrever, meu computador estava no conserto, comecei a escrever a mão.

Quanto tempo demorou para escrever Fascínio Egípcio? 
 Demorei dois anos para escrever o primeiro e um ano para escrever o segundo livro.
  
 Como conseguiu publicar seu livro?
 Mandei para as editoras que estavam aceitando originais e que publicavam o gênero de livro parecido com Fascínio Egípcio. Alguns meses depois comecei a receber o retorno das editoras. Optei pela  editora Modo, por já conhecer o bom trabalho que eles fizeram com os livros de alguns colegas escritores.
  
Qual o lado bom e o lado ruim de ser escritora? 
 O lado bom sempre é o retorno do leitor, todo mundo gosta de se sentir valorizado e é assim que me sinto quando recebo os comentários das pessoas, mesmo quando elas dizem que estão com raiva, eu gosto (rsrsrs) e quando elas dizem que não conseguem para de ler eu me sinto recompensada, por isto o encontro com leitores em eventos é muito satisfatório. Faço parte do Clube dos Escritores de Guarulhos, temos um evento mensal na Biblioteca Monteiro Lobato – Centro de Guarulhos, com apresentações, dramatização de trechos de livros e musicada muito trabalho organizar, mas é muito gratificante.

O lado ruim é a falta de tempo, passei a desejar que os dias tivessem 36 horas para conseguir tempo para divulgar e continuar escrevendo. 


Já tem data prevista para o segundo volume?
 A previsão é que seja lançado em 2015

Hoje em dia com mais blogs divulgando os livros, você acha que melhorou sua carreira de escritora?
A divulgação é a maior deficiência no trabalho do escritor nacional, por isto o trabalho que os blogueiros realizam é muito importante. Outra coisa que tenho percebido é que por causa do trabalho realizados nos blogs literários estamos vencendo o preconceito contra o livro nacional.  

Que dica você dá para quem sonha um dia em escrever um livro?
Muitas pessoas me procuram nos eventos dizendo que escrevem, que tem livros guardados há anos e não tem coragem de enviar para analise das editoras, eu sempre  as incentivo e digo para elas acreditarem em sua capacidade. 

Quem ficou com vontade de ler o livro e quiser comprar?
 Quem quiser pode entrar em contato comigo no facebook, pode também adquirir no site da editora Modo , site da livraria cultura, Para quem mora em São Paulo tem na banca Nacional ( Alameda Santos atrás do conjunto Nacional) e em Guarulhos na Nobel ( Av. Salgado Filho, 1453)


 Adorei ter conhecido você pessoalmente, e principalmente poder abrir esse espaço para que mais pessoas possam conhecer o seu trabalho.

Desejo muito sucesso a você e que seu trabalho seja reconhecido e valorizado cada dia mais.

Beijos 


Até mais...


 

23 comentários :

  1. Achei interessante o livro, a capa é bem bonita, só não curti muito o nome, mas ainda assim leria o livro, e sobre a autora, começou a escrever cedo em, e eu ainda tenho preguiça de fazer resumos hahahaha.

    ResponderExcluir
  2. Que bom prestigiar autoras nacionais.
    Achei bem interessante a história do livro, e com toda certeza leria.

    ResponderExcluir
  3. Oi Dre, tudo bem?

    Adorei a entrevista. Conhecia o livro, mas não conhecia a autora. Que chique ganhar um concurso no colégio *-*

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu não conhecia o livro, mas já me interessei por ele.
    Mas não pretendo ler ele tão logo, já que o segundo livro só vai ser lançado ano que vem...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi Dressa, tudo bom?
    Já li resenhas desse livro e achei a autora bastante criativa. Foi bem legal conhecer mais do processo criativo dela. Gostei muito da entrevista.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Viva o nacional! Quero ler esse livro.
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Andressa
    Gostei muito da entrevista. A sinopse do livro é bem interessante e a capa muito bonita, com certeza gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  8. Tenho uma dificuldade absurda com autor nacional. O plot desse livro não me pegou, talvez de uma chance quando a Luciane parti pra outro caminho que não tenha romance no meio e tal. Mas adorei a entrevista! Me atraí bastante descobrir na leitura como foi o processo de escrita do livro.

    ResponderExcluir
  9. Sou doida para ler mais livros nacionais o que me falta é indicação. Irei colocar esse na listinha ele parece bom, além de ler um pouco de uma cultura que a gente não conhece muito bem disperta a curiosidade ;)
    beijos

    ResponderExcluir
  10. oi Dressa,
    adorei conhecer melhor a autora. Essas colunas de entrevistas são sempre ótimas.
    o livro parece ser muito bom mesmo, e se ela ficou dois anos escrevendo, significa que dever ter pesquisado muita coisa, e feito com muito carinho e cuidado. Realmente a autora merece muito sucesso

    beijos
    http://meumundinhoficticio.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Cada vez mais escritoras brasileira tendo espaço
    Essa aí já é fera ,escreve desde dos 10 anos rsrs
    Vou procurar o livro pra ler já ;)

    ResponderExcluir
  12. Estou cada vez mais interessada na literatura nacional. Tenho tido ótimas leituras de autores nacionais e isso me faz buscar outros livros. Não conhecia a autora e sua obra, mas vou procurar ler o livro.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu acho muito bacana a oportunidade de conhecer novos autores nacionais. Já me surpreendi muito com excelentes livros nacionais.
    Ainda não tinha ouvido falar nem da autora nem da obra, mas parece bem interessante, e ainda com uma abordagem de cultura egipcia, fiquei curiosa pra ler.

    Bjok

    ResponderExcluir
  14. Não conhecia esse livro nem a autora. Achei a capa linda *-*
    Muito boa a entrevista, é bom saber como tudo começa, de onde vem a inspiração e tudo mais da vida da autora.
    Curti =D

    ResponderExcluir
  15. Não curto muito o estilo do livro,mas acho que leria ele sem problema algum .Eu queria tanto ter talento pra escrever, mas não tenho . Beijos :*

    ResponderExcluir
  16. Oi, Andressa!
    Acho ótimo o blog trazer autores nacionais! E achei muito bonita a capa do livro! Acho que nunca li um livro que tem como cenário o Egito (um dos países que mais me atraem)...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  17. Eu adoro livros que abordam outras Culturas. Acho a Cultura Egípcia uma das mais misteriosas e interessantes. Fiquei bem curioso pra conhecer esse trabalho da Luciane.
    E dou os parabéns aos blogs que estão divulgando a Literatura brasileira cada vez mais.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  18. Oi, eu estou adorando ler livros nacionais, adorei conhecer a Luciane, o livro dela parece ser muito bom, e eu fiquei super interessada, a capa é linda, e é claro que o fato dele ser nacional atiça ainda mais a minha curiosidade.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  19. Amoooooooooo ler livros nacionais, já li vários.
    Este mesmo está nos meus desejados, hehe. E amei conhecer um pouco mais da autora.

    ResponderExcluir
  20. Que capa mais linda!
    Mais uma boa autora nacional com um livro que me atrai. Adorei a entrevista também, sempre é interessante saber mais sobre os processos criativos dos autores, além das histórias deles também :)

    ResponderExcluir
  21. Não conhecia a autora, desejo sucesso na carreira e que consiga bons frutos, a pessoa tem que ter o Dom pra escrever né, com 10 anos eu ainda tava aprendendo a ler. (brincadeira eu ja sabia), mas eu sou muito ruim pra escrever, sofro nas redações... kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  22. Eu nunca li um livro que tivesse o Egito como plano de fundo! Achei bem bacana..
    Uau, deve ter sido um máximo ganhar o concurso no colégio, principalmente pelos demais vencedores serem tão mais velhos!

    Beeijinho. Dreeh
    Blog Mais que Livros

    ResponderExcluir
  23. Ah! Eu comprei esse livro na última bienal do Rio (tava baratinho, uns 10 reais)!!! Mas ainda não li.

    ResponderExcluir