Resenha - Vidas Trocadas


Vidas Trocadas
Autor: Katie Dale
Editora: Benvirá
Gênero: Literatura Estrangeira / Drama
Páginas: 408
Sinopse: Skoob

Classificação:


Olá, tudo bem com você? 

Estava super ansiosa para ler esse livro pois já tinha visto ele na livraria física e adorei a sinopse e a capa, é o primeiro livro que leio da editora Benvirá e me surpreendi muito com a leitura.

Rosie acaba de perder sua mãe para a Doença de Huntington , eu não sabia nada sobre essa doença e a autora quis abordar exatamente essa doença no livro para que mais pessoas tenham conhecimento sobre ela, que é uma espécie de Mal de Alzheimer com Mal de Parkinson juntos , e muitas vezes tem alteração de humor e depressão junto. A pessoa parece que está bêbada mas na verdade tem uma doença muito séria.

Rosie está prestes a completar 18 anos e largou tudo na sua vida até o seu namorado Andy para poder se dedicar a cuidar de sua mãe até a morte. 

Agora a dúvida maior na vida de Rosie é se deve fazer o teste para descobrir se tem a mesma doença que a mãe dela teve ou não. 

A doença é genética e existe uma possibilidade de 50% de ter a doença ou não, e isso faz Rosie ficar na dúvida por um tempo.

Página 55
 Se Trudie nos ensinou algo, foi que a vida é curta demais para ficar adiando as coisas. Não podemos perder um único momento.

Até que antes de fazer o exame uma enfermeira que é vizinha dela informa que ela não tem a doença e não precisa fazer mais o exame, pois o sonho da mãe dela era ter um filho e no dia que a mãe de Rose esta prestes a ganhar o bebê, o marido acaba morrendo em um acidente de carro , e a filha nasce com problemas respiratórios, no mesmo dia uma moça jovem está tendo outra criança no mesmo hospital e por ser muito jovem, não deseja a criança e acaba saindo do hospital e deixando a criança sozinha.

A enfermeira por gostar muito da mãe de Rosie e ver que o sofrimento dela vai ser muito grande se perder a filha, acaba trocando as duas crianças e muda a vida dessas duas crianças para sempre.

O que era para ser um segredo somente dela acaba sendo revelado agora depois de quase 18 anos e faz a vida de Rosie mudar totalmente e fazer uma reviravolta total em sua vida.

Rosie reencontra com seu ex namorado Andy e os dois resolvem fazer uma viagem para esquecer todos os problemas, porém o objetivo de Rosie é tentar encontrar sua mãe biológica.

Rosie acaba encontrando sua mãe e até mais do que esperava, sua mãe é uma atriz famosa de sucesso porém não dá a mínima para Rosie, que fica a ver navios. 

O livro tem capítulos curtos e é narrado em primeira pessoa, a edição estão ótima as páginas também porém achei só as letras muito pequenas. 

Rosie acaba encontrando um pai e sua filha que nasceram no mesmo dia e foram trocadas na maternidade, e depois disso o livro altera os capítulos entre Holly e Rosie e podemos entrar na vida das duas personagens de uma forma que fiquei até assustada.

Os traumas dessa mudança na vida das duas garotas é enorme e quando lia o livro ficava tão emocionada com tudo e ao mesmo tempo aliviada quando parava de ler pois realmente não queria estar na pele dessas garotas.

O sofrimento é bem forte, é um drama muito comovente, ainda mais sobre essa doença que ninguém conhece, e as duas vão lutar juntas para entrar uma na vida da outra e tentar ver se realmente vale a pena fazer o exame para descobrir a doença ou não.

O livro é cheio de segredos, cheio de situações inusitadas como se fosse um capítulo final de uma novela, onde tudo acontece de uma vez só. 

O livro passa uma mensagem muito bacana, mas achei o final um pouco contraditório pois teve tanto drama no livro todo para chegar no final e não acabar em nada, por isso não darei nota máxima. 

Mas a leitura foi fácil de ler e fez eu perceber os valores de algumas coisas, e as vezes a doença pode chegar na vida de uma pessoa ao mesmo tempo que outra pessoa pode morrer de qualquer outro motivo que não seja uma doença séria. 

Página 398
Tudo o que qualquer um de nós pode realmente fazer é aproveitar a vida ao máximo com o que tem, sorver o que o dia lhe oferece, cuidar de cada pequeno momento que tem ao lado daqueles que ama.

E o mais importante que mostra no livro é o amor das pessoas com quem se convive, as vezes não precisamos ter o mesmo sangue para nutrir um amor por um pai ou filho e vice versa o que comanda é a convivência e o amor nutrido da presença de cada um em nossas vidas.

Senti falta do Andy em muitos momentos da história que só aparecia em poucos momentos e sempre para ajudar nunca para ser ouvido ou algo do tipo, nem parecia namorado de Rosie.

Mas é uma leitura que comove e merece ser lida !

Esse é o terceiro livro lido na Maratona de Férias  #eusoudoidera  e a música que escolho para representar esse livro é uma bem triste para retratar o sofrimento das duas meninas: 


Lara Fabian - Love By Grace

 

  Beijos 

Até mais ... 







15 comentários :

  1. Oi Andressa!
    Eu ainda não li nada dessa editora, me surpreendi! Também, ainda não havia ouvido falar dessa doença.
    Imagina a tristeza e ansiedade de uma pessoa: saber que tem 50° de chance de ter a mesma doença que matou sua mãe ):
    Nossa, que reviravolta no livro né. Coisa do programa do Ratinho, rs.
    O livro parece ser bem tenso.Sempre que leio um livro assim, eu fico tensa também, pois me ponho no lugar dos personagens.
    Sua resenha soube mostrar muito bem o que a protagonista passa, o sofrimento é quase palpável.
    Beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Dre, tudo bem?

    To bem curiosa para ler esse livro e espero fazer isso em breve. Mas antes preciso terminar a leitura do outro livro da editora que eu solicitei =P. Conhecei esse livro em um Amigo Oculto, a pessoa que eu tirei pediu ele e desde então me interessei pela sinopse. Adorei a resenha. Pena que teve um probleminha no final

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Andressa :)

    Estou bastante curioso para ler esse livro, pois acho que iria gostar bastante. Não há dúvidas de que a capa é fantástica e a premissa me chama a atenção. Beijos!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Sempre via esse livro tanto nas livrarias,quanto na internet e tinha o desejo de ler só ver a capa.
    É a primeira resenha que li sobre a história e gostei muito.
    Fiquei com vontade de ler! :)

    ResponderExcluir
  5. Oi,
    Fiquei bem interessada pelo livro, pois gosto de leituras dramáticas e emocionantes. Deve ser chocante descobrir que você foi trocada na maternidade e que pode ter uma doença genética grave. A capa está linda.
    Quero ler!
    bjs

    http://entrepaginasesonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esse livro, mas gostei muito da história. Parece ser muito emocionante. A capa é muito linda.
    Pena que o final não te agradou muito.

    ResponderExcluir
  7. Oi, eu já tinha visto este livro em alguns blogs mas nem sabia do que é que se tratava e sem dúvida que deve ser um exelente livro, apesar de não teres gostado do final. Principalmente porque fala sobre doenças e parece que quanto mais dinheiro existe mais doenças aparecem. Beijinhos
    http://diariosdeumadesconhecidacomilona.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  8. Oiee
    É muito drama mas eu adorei,imagino como Rosie reagiu à morte de sua mãe e depois ao descobrir que ela não era sua mãe biológica,e Holly com a dúvida de ter ou não a doença que pode a matar.
    Não curti o final mas o livro vale mesmo a pena.
    Essa música que você escolheu combinou perfeitamente com a leitura :'(
    beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Dressa, tudo bom?
    Nossa, eu já tinha lido resenha desse livro, mas não me lembrava muito bem da narrativa. Gostei dessa temática sobre as descobertas familiares da protagonista e espero conseguir ler esse livro em breve. Agora eu entendi o título do livro.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oiii...
    Ainda não conhecia o livro e é a primeira resenha que vejo.
    Gosto quando autores abordam e aprofundam alguma doença na leitura. Nos permite assim um melhor entendimento.
    A sua resenha e a história já até me chamou atenção, com certeza irei querer ler o livro.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Oi Dressa,
    gostei muito da resenha, mas acho que não estou na vibe pare ler esse tipo de livro agora, mas é uma ótima dica para uma leitura futura. E pela sua resenha, senti que o livro só reforça o lema da minha vida: pai/mãe não é quem faz, é quem cria, seja em casos de adoção, padrasto/madrasta ou os mais raros como o do livro, de troca na maternidade.

    Sobre a doença, fiquei pensando na minha avó, ela morreu há dois anos, e tinha Mal de Alzheimer e Mal de Parkinson. Será que na verdade ela não tinha era essa outra doença? E como ela tomava tantos remédios, não era possível determinar que humor teria, causado pela doença.

    beijos

    ResponderExcluir
  12. Ainda não tenho uma opinião formada sobre esse livro. Assim, li a sinopse dele, e não gostei, achei um tanto evasiva e a capa bem estranha também; o que me leva a não gostar do livro. Por mais que a premissa do livro seja tocante, não sei se gostaria pelo fato de sair da minha zona de conforto. É difícil de entender o que eu quero explicar, mas enfim hahah

    ResponderExcluir
  13. Oi,
    Confesso que sua resenha me deixou super interessada pelo livro e também um pouco triste com a história dos personagens. Eu muitas vezes não leio livros com dramas porque eu já acho a vida dura e ler um livro desse me deixa mais indignada com isso, para ter uma idéia eu nem li "A Culpa é das Estrelas".

    ResponderExcluir
  14. Que enredo surpreendente!
    Não conhecia a autora e parece que esse livro é uma ótima leitura. Essa doença é desconhecida por muitos, inclusive era também por mim e fiquei muito intrigada em ler o livro e ver como essa trama vai se desenrolar.

    ResponderExcluir
  15. Fiquei interessado pelo livro, uma vez li um livro chamado A menina de vidro, historia de uma menina que que tinha uma doença chamada Osteogene Imperfeita, antes de ler o livro eu nunca nem tinha ouvido falar dessa doença e agora já sei mais ou menos, bem legal quando o autor aborda esse tipo de tema, faz a gente além de curtir uma historia na maioria das vezes emocionante, aprendemos muito a respeito de uma doença (nesse caso) que nem tinha conhecimento.

    ResponderExcluir