Resenha - Sem Medo de Falar


Sem medo de Falar 
Autor: Marcelo Ribeiro
Editora: Paralela
Gênero: Literatura Nacional / Biografia 
Páginas: 200
Sinopse: Skoob

Avaliação:

Olá, tudo bem com você? 

Marcelo é a vítima que sofreu pedofilia desde os nove anos de idade e também é o autor do livro onde relata todo seu sofrimento que durou vários anos. 

Adoro livros baseado em fatos reais e tenho que parabenizar a coragem que o autor teve em conseguir falar todos os abusos que sofreu e o mais polêmico ele sofreu todo o abuso dentro da igreja católica. 

O livro tem capítulos curtos e é intercalado com o relato dele e reportagens sobre pedofilia e a reação de alguns "Papa" com o assunto. 

Marcelo viveu em uma cidade pequena no interior de Minas Gerais e sua mãe o colocou no coral da igreja, ele aprendeu a tocar vários instrumentos, o maestro ainda não era padre porém usava o espaço da igreja para treinar seus alunos. 

O Maestro era um carrasco com todos os garotos, mal ensinava direito e se os garotos fizessem algo errado era punido com surras, e xingamentos. 

Porém diante dos olhos dos adultos ele se passava como um exemplo de ser humano onde ninguém questionaria sua índole. 

Página 53/54
Muita gente pensa que o pedófilo é um ser estranho, desconhecido, que um dia surge do nada e aborda a criança de surpresa, em algum lugar isolado. Não é assim. O abusador de menores tece com paciência a sua teia. Entre ele e a vítima, uma dinâmica de sedução e subordinação vai sendo construída, peça por peça. Ele é carismático e inspirador para os menores e conquista a confiança dos pais e da comunidade. Ele precisa de uma reputação sólida, a sua proteção moral, antes de começar a agir. 

O Maestro só escolhia garotos jovens para o seu coral e sempre se mostrava muito nervoso, ele dava funções diversas para os garotos e devido ao sucesso que o coral fazia ele conseguia marcar viagens com todos os garotos e com autorização dos pais das crianças.

Marcelo nunca entendeu muito bem o que de fato aconteceu com ele, não tinha experiência nenhuma da vida e com apenas 9 anos foi abusado sexualmente.


Página 169
"Mas abusou sexualmente como?"
"Fez sexo comigo"
"Sexo como? Ele fez o quê?"
Aprendi que as respostas têm de ser bem claras e diretas, por mais agressivas que possam parecer.
"Ele abusou sexualmente de mim pelo fato de, na época, eu ser uma criança e ele um adulto. Ele fez sexo comigo. Fez carícias, me tocou, me beijou, me fez praticar sexo oral e me penetrou, em várias posições, sempre a seu bel-prazer. E exigiu que eu penetrasse."
Sei que choca dizer isso diretamente, mas é essa a resposta que as pessoas querem e precisam ouvir. 

O que mais surpreende nesse livro é que além de relatar o que de fato acontece com ele, ele também diz que chegou a gostar do Maestro, talvez não de maneira amorosa mas como passava muito tempo com ele acabava acreditando nas juras de amor que o Maestro lhe dizia.

Mas com certeza o maior sofrimento carregado por ele era o silêncio de não poder contar para ninguém o que de fato aconteceu, e só tomou essa atitude cerca de 30 anos depois, o que fez a impunidade tomar conta de todo o problema. 

Página 181
Os críticos mais severos da atuação do cardeal Ratzinger e do Vaticano na denúncias de abuso sexual dos últimos anos alegam que a Igreja procurou resolver os inumeráveis casos intramuros. Não entregou os predadores de batina à lei dos homens para serem julgados como criminosos sexuais: Preferiu julgá-los como clérigos - e como "servos do Senhor"  foram perdoados. A maioria era enviada para um período de reabilitação e de arrependimento, e depois voltavam a exercer suas atividades religiosas em outras paróquias, bem distantes daquelas onde foram denunciados. 

Quando se faz uma denúncia de pedofilia a pessoa só é presa em caso de flagrante, ou seja como já tinha se passado muito tempo nada poderia ser feito, e como na frase acima vemos que o Vaticano não condena os padres que receberam denúncias de pedofilia, apenas são enviados para outra região distante podendo cometer os mesmos atos novamente.

Me considero uma pessoa católica, e fiquei bastante triste com toda essa impunidade que acontece no meio dos padres com as denúncias que recebem referente a pedofilia, agora parece que com o Papa Francisco algumas coisas estão começando a acontecer e espero que de fato aconteça, justiça seria a palavra mais certa.

O livro está com a edição muito boa, gostei da capa, as páginas são amareladas, letras em bom tamanho e capítulos curtos.

Uma leitura muito válida que faz refletir sobre a religião que as crianças costumam seguir por obrigação dos pais, muitas vezes ele não queria ir para a igreja e acabou sendo obrigado a ir pelos pais, e inclusive no livro ele mesmo informa que a religião deveria ser escolhida pela própria pessoa depois de uma certa idade, onde a pessoa saberia o que de fato estaria fazendo. 

Página 185
Uma pessoa que, como eu, fui vítima de abusos físicos, psicológicos e sexuais a partir dos nove anos de idade dentro da Igreja Católica e por meio dela, sente-se no direito de fazer diversas indagações: como pode a igreja católica perdoar, aceitar e proteger um padre ou bispo pedófilo, mas não perdoa quem decide amar e casar com alguém do mesmo sexo? Ou não perdoa quem interrompe uma gravidez, mesmo quando tem sua vida em perigo em decorrência dela? Se a igreja não tem senso de humanidade ao destruir milhares de vidas acobertando padres pedófilos, porque exige humanidade se seus fiéis seguidores? 

Um alerta para os pais, e uma coragem de quem sofreu abuso poder contar o que de fato aconteceu e tentar se livrar do peso que se carrega de um sofrimento sem tamanho.

Beijos

Até mais...

20 comentários :

  1. Oi Dressa!
    Muito corajoso o autor por escrever tudo o que aconteceu com ele, ainda mais pelo fato de ter sido abusado, o que não deve ser algo fácil de se falar.
    O livro parece bom, me interessei bastante.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Nossa Dressa..adorei a trama do livro.
    Corajoso mesmo esse autor. Fiquei mega curiosa agora.
    É a primeira vez que ouço falar no livro, mas já quero ler.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem?
    Eu também sou católica. Fico super chateada quando sei dessas coisas ):
    Fico muito feliz em ver que o Papa Francisco está mandando ver. Vários pedófilos já estão sendo condenados. Tomara que seja sempre assim agora.
    Eu não conseguiria ler o livro, não por falta de vontade, mas porque meu coração é fraco mesmo.
    Super beijos <3
    http://livros-cores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Também gosto muito de livros baseados em fatos reais, e sendo tão impactante como esse com certeza fiquei com vontade de ler.
    Uau, que coisas horríveis que esse homem passou! Achei estranho os pais não terem percebido mudanças de comportamento no menino.
    Amei a resenha! Bjs, Andressa <3

    ResponderExcluir
  5. Para você ver, que mesmo em qualquer local e religião.. não importa, pessoas assim sempre vão existir, ao fazer o bel mal as pessoas, achei muito corajoso o autor, por contar isso e expor para as pessoas, que nem sempre conhecemos as pessoas por que elas julgam ser, ou se mostram para o público, é bem impactante e leitura, e me senti com nauseas e com fraquezas no peito ao ler, é muito triste saber que isso ainda acontece com crianças ou adultos...
    Triste mesmo. Me senti mal com a leitura da resenha, mas de uma forma de querer matar quem faz essas coisas, ato corajoso..parabéns ao autor.
    Beijos Andressa, ThaynáQ.

    ResponderExcluir
  6. cara ele foi corajoso ao escrever isso, mas confesso que eu n leria pq sou meio traumatizada com essas coisas pq um tio já tentou me agarra sabe eu com certeza isso me deixa desconfortável e foi um choque mt grande entre meus parentes.

    Seguindo o Coelho Branco

    ResponderExcluir
  7. Oi Andressa.
    Com certeza o autor foi muito corajoso em relatar sua história, mas isso é até bom, um incentivo aqueles que se calam por medo ou vergonha.
    Gostei de conhecer esse livro, ele traz um assunto bem denso e polêmico, e leva a reflexão, gosto disso.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  8. Não tenho nada contra a igreja católica, eu mesma vou a missa de vez em quando mas acho uma palhaçada não punirem os padres que são acusados de pedofilia! Eles não são melhores que ninguém só por serem padres, e a prova ta aí, alguns abusam de crianças! E o vaticano fecha os olhos pra isso e perdoa. Me desculpe mas vá pra puta que pariu né. Muita coragem do autor em escrever esse livro. Espero que ele tenha superado isso e que a vida dele seja muito boa apesar de tudo.

    ResponderExcluir
  9. Que livro forte!Esse realmente deve ser a palavra pra descrever tudo o que vc disse acima.
    Esse tema de pedofilia já é uma coisa super séria e forte,ainda mais quando se junta a religião e a ser uma história baseada em fatos reais!
    Vou ser sincera em dizer que não sei se teria coragem pra ler esse livro,me impressiono mto fácil e acho que ficaria com um ressaca literária gigantesca!
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. nao sou muito fã desse tipo de livro, mas esse parece ser realmente bom e a capa é bem bonita tbm (eu escolho o livro pela capa heehue)

    ResponderExcluir
  11. Nossa realmente esse livro é bem forte e promove uma intensa reflexão em vários pontos. Foi muita coragem do autor contar o horror que viveu. Acho um absurdo nada acontecer a esses "padres" que deveriam ser servos de Deus em suas ações.

    ResponderExcluir
  12. Uau. Se não deve ser fácil o fato de falar sobre isso, quem dirá ter um livro publicado falando sobre isso.
    Pra ser sincera, chega a dar medo de retaliações ao autor.
    Mas é bom que a verdade esteja cada vez mais acessível.
    Abraço!

    http://2leitoras.blogspot.com/p/sorteio-de-inauguracao.html

    ResponderExcluir
  13. Ai, Andressa.

    Esse deve ser um livro bem interessante. Fiquei chocada com uma das quotes citadas. Pessoas que sofrem abusos sexuais devem ser muito forte pra conseguir contar a história do que aconteceu em sua vida.
    Fiquei interessada na leitura.

    Visite: http://paradisebooksbr.blogspot.com.br/

    Beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oi Dressa, tudo bom?
    Nossa, esse livro tem um tema bem pesado. O autor foi muito corajoso ao expor seu caso, pois isso pode alertar pais para casos semelhantes. É uma pena que uma pessoa doente como essa não seja punida e espero que escrever esse livro tenha ajudado o autor de alguma forma.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Infelizmente quantos Marcelos não temos espalhados pelo mundo? Parabenizo desde já o autor pela coragem em relatar seu sofrimento. É uma pena que não se possa apagar isso de sua memória. Mas que seu relato alerte a toda a sociedade sobre este câncer que nos corrói.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  16. Meus Deus que chocante esse livro, e que coragem ele teve de contar toda a sua história, é um mundo muito sujo e cruel, um adulto que faz isso com uma criança merece injeção letal, nossa eu ficaria revoltada de ler um livro assim, mas gostei!
    bjkas

    ResponderExcluir
  17. Que história mais triste, eu não sei se conseguiria ler, mas acho incrível a coragem que ele teve de contar sua história. E que isso ajude as vítimas de abuso a não ter vergonha do que aconteceu e denunciar.

    Na minha opinião a violência sexual é o pior tipo de crime que existe, pois não afeta somente o físico, mas também o psicológico. Esse homem em particular é um doente, parece até um psicopata, pois conquistou a confiança dos adultos para poder conseguir abusar dos seus filhos sem que eles desconfiassem. E ainda conseguia iludir as crianças fazendo com que elas pensassem que estavam em uma relação amorosa. Muito doente!!

    Já soube de histórias deste tipo de crime em várias religiões e acredito que isso não tem nada a ver com a fé, são pessoas doentes que se aproveitam da fé dos outros para terem uma certa "credibilidade" perante a sociedade e poder cometer seus crimes. Como eu disse, são pessoas doentes e devem ser punidas por isso.

    E os pais devem ser mais atentos, o perigo está mais perto do que se imagina, a violência sexual infantil raramente é cometida por estranhos e sim por pessoas conhecidas. Estão os índices aí para nos mostrar essa triste realidade.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Caramba, ele foi muito corajoso em escrever esse livro, dou os meus parabéns ao autor. Acho esse um dos piores crimes do mundo. Não entendo como existe gente que pode se aproveitar das crianças. Sinceramente não consigo entender.

    ResponderExcluir
  19. Andressa, mas que história mais emocionante. Uma grande coragem do autor realmente, concordo com você. Fiquei emocionada só com sua resenha, imagine com o livro em si. Também adoro livros baseados em fatos.

    ResponderExcluir
  20. Nossa, realmente muita coragem do autor em falar sobre um assunto desses e o pior que aconteceu com ele. Acho que isso acontece em todos os lugares e religiões, infelizmente é um assunto polêmico que devia deixar de ser. Concordo com o autor, as crianças não deveriam ser obrigadas a seguir a religião dos pais e realmente decidir quando tiver mais sabedoria aquela que deseja ter para sua vida.
    Gostei muito do livro e quero ler.
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir