Resenha - O Primeiro Telefonema do Céu


O Primeiro Telefonema do Céu 
Autor: Mitch Albom 
Editora: Arqueiro
Gênero: Literatura Estrangeira / 
Páginas: 288
Sinopse: Skoob

Avaliação:

Página 13
As notícias da vida são transmitidas por telefone. O nascimento de um bebê, um noivado, um acidente trágico em uma estrada tarde da noite... Quase todos os acontecimentos marcantes da jornada humana, bons ou ruins, são anunciados pelo toque de um aparelho telefônico. 

Olá, tudo bem com você? 

Eu já li alguns livros deste autor, então quando saiu a lista de lançamentos da editora Arqueiro com esse livro, fiquei bem curiosa com a leitura pois todos os livros deste autor passam mensagens de reflexão e que sempre valem a pena serem lidos. 

Esse livro em particular eu achei o mais diferente que já li, o livro conta a história de vários personagens e confesso que no começo foi um pouco difícil assimilar quem era quem de tanto personagem que surgiu nesta história. 

A história se passa na pequena cidade de Coldwater localizada em Michigan, e logo somos apresentados ao personagem Sully um homem que perdeu a esposa logo depois que saiu da prisão, agora precisa lidar com a liberdade e tentar cuidar do seu filho ainda muito pequeno. 

Desde que saiu da prisão e perdeu sua esposa Sully perdeu a fé em Deus e agora segue sua vida sem acreditar em forças superiores. 

Página 17
É preciso começar de novo. É o que todos dizem. A vida, no entanto não é um jogo de tabuleiro, e a perda de uma pessoa querida nunca é como "recomeçar um jogo". É acima de tudo, "continuar sem". 

Katherine teve uma irmã que morreu a cerca de 2 anos e recebe uma ligação no seu celular dizendo se tratar de sua irmã, Katherine frequenta uma igreja evangélica e decide compartilhar essa notícia com todos os fiéis. 

Tess perdeu a mãe a mais de um ano e também afirma receber ligações de sua mãe e por frequentar uma igreja católica também decide expor os telefonemas para todos saberem. 

O livro é narrado em terceira pessoa e conta um pouco da vida de todos os personagens antes de perderem seus entes queridos e como chegaram a receber as ligações de seus parentes. 

Jack é o delegado da pequena cidade de Coldwater e também está recebendo ligações do céu, de seu filho que já morreu a algum tempo , porém por Jack ser o delegado da cidade ele decide manter essa informação em segredo. 

A notícia se espalha rapidamente pelo mundo todo e várias pessoas se mudam para Coldwater para também serem abençoados, todos querem receber noticias das pessoas queridas que já partiram dessa para uma melhor. 

A cidade vira uma loucura, Katherine, Tess, e outras pessoas são procuradas por jornalistas, tem a sua vida invadida por outras pessoas querendo saber mais noticias sobre esse fenômeno e Sully parece ser a única pessoa que não acredita nesse milagre e acha que tudo não passa de uma armação.

Sully vê seu filho pequeno acreditando nesta história e desejando que sua mãe ligue para ele também em seu celular de brinquedo, então depois deste fato Sully vai em busca de provas para desmascarar todo esse milagre. 

Página 89
Os vivos não podem falar com os mortos. Se pudessem, não achariam que eu também falaria? Acham que eu não trocaria o ar que respiro por uma única palavra de minha esposa? Isso não acontece. Não há Deus que faça algo assim. Não existe milagre nenhum em Coldwater. É algum tipo de truque, uma trapaça, uma fraude, um enorme embuste. 

A leitura flui muito rápida, as páginas são amareladas, porém a letras são bem pequenas e o fato de ter muitos personagens confunde um pouco. Porém por outro lado descobri muitas coisas sobre como foi inventado o telefone, quem inventou e quais outras pessoas também dizem ter inventado. 

O mais interessante de tudo isso é que Alexander Graham Bell o inventor oficial do telefone não pôde escutar a voz da sua mulher amada no telefone porque ela era surda, como uma coisa assim hoje mudou o mundo todo e faz até muitas pessoas se tornarem dependentes dessa tecnologia. 

O final é bem inusitado e eu gostei bastante do livro, mas poderia ter tido um final melhor, por isso não dei nota máxima. 

Até que ponto somos capazes de fazer algo para receber notícias de pessoas  que amamos e não está neste mundo? 

Vale a pena ir em busca de noticias sem ao menos saber se é certo, se existe de fato? E  se existisse uma maneira de quem morreu conseguir se comunicar com você isso seria bom ? Seria estranho? 

Convido você a ler esse livro e descobrir o que de fato é verdade ou não. 

Página 108
O medo nos faz perder a vida... um pouco de cada vez...O que damos ao medo, retiramos...da fé. 

*Esse foi o sétimo livro lido na maratona de férias. 

Beijos 

Até mais... 





17 comentários :

  1. Deve ser um pouco confuso mesmo tantos personagens, só em ler a resenha, achei que isso pra mim seria um ponto não negativo, mas que dificultaria um pouco o entendimento da leitura.
    Particularmente eu não gostei muito dessa temática não. :/ Achei meio estranho e não fiquei interessada em ler esse livro. Quem sabe para uma leitura futura.

    ResponderExcluir
  2. Esse livro, com certeza, não me agradaria. Sou bastante cética e, para mim, pessoa morta é pessoa morta. Não acredito em alma.. Enfim.
    Por outro lado, acho que história do Bell muito bonita. Principalmente, pelo seu esforço em poder se comunicar com sua esposa, que era surda.
    De modo geral, não senti interesse no livro. E, ainda por cima, é narrado em terceira pessoa. =/

    ResponderExcluir
  3. Fiquei curiosa pra saber se isso que está acontecendo em Coldwater é uma fraude ou não, e vai ser interessante ver se o Sully vai voltar a ter fé em Deus. Ansiosa pra ler!
    Ótima resenha! Abraços!!

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Não conhecia esse livro ainda, mas fiquei curiosa quanto à temática. Receber ligações de pessoas que já morreram, e de pessoas amadas ainda, parece interessante, se o autor souber trabalhar bem. Não conheço a escrita dele, mas você falou de ter muitos personagens e ter ficado confuso em relação a isso, então vou pensar um pouco antes de procurar o livro HAHAHAHA
    Adorei a resenha *-*

    Beijos,
    Denise Flaibam.
    http://blogsomaisum.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Andressa.

    Já tinha ouvido falar desse livro e não fiquei muito interessada na leitura. Isso de receber ligações de quem já morreu não me chamou a atenção. Mas você disse que os livros desse autor nos faz refletir, acho que irei pesquisar um outro livro e conhecer sua forma de escrita.

    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Quando eu vi a capa, fiquei super curiosa pra saber do que se tratava o livro, quando eu li a resenha confesso que me surpreendi, achei a proposta do livro bem legal, mas eles realmente recebiam telefonemas vindos do céu?, ou tinha mesmo alguém por trás desse "milagre".
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Fiquei super interessada nesse livro. Acho que se eu recebesse ligação de alguém que já morreu, mesmo sendo um ente querido eu ia tremer de medo rs mas é uma coisa que faz a gente refletir.

    ResponderExcluir
  8. Oi Dressa, tudo bom?
    Parece ser uma história que faz o leitor refletir, mas não entendi a relação da narrativa com a invenção do telefone. No entanto, fico pensando nessas pessoas que perderam pessoas queridas. Acho que todo mundo gostaria de ter essa oportunidade de falar com quem já foi embora.
    Beijos!
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Super ansiosa para conhecer esse fato, e esse livro é perfeito ouvi falarem muito bem dele.

    ResponderExcluir
  10. Eu vi no lançamento, a capa é bem bonita e chama a atenção. Não curto tanto livros que misturam personagens e vários. Mas achei muito bonito, a forma e problemas das pessoas, as coisas que vem acontecendo e esses telefonemas, fiquei bem curiosa. Por o final ser inusitado eu fiquei ainda mais ansiosa e quero ler.
    Abraços Andressa,
    ThayQ.
    http://leituras-insanas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Uma questão complicada, pois não é fácil lidar com o sentimento de perda de alguém que amamos
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. Oi Dressa..
    O livro parece ser bom. Vi poucas resenhas dele.
    Gostei muito da descrição dele, e fiquei curiosa quanto ao final, mesmo não sendo o esperado por você.
    Quem sabe eu leia ano que vem.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. OI Dessa,
    Eu fiquei interessada no livro desde que vi o título <33
    Parece ter muitas mensagens reflexivas, mas tenho muuito problema com fonte pequena e muitos personagens =( quem sabe ainda terei a oportunidade de ler esse livro com muita calma né?
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  14. Não sei se o livro funcionaria comigo, parece ser mágico demais ao mesmo tempo com mesclas reflexivas, acho que para mim a narrativa seria mais amarrada =/

    Beijos Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
  15. Oi Andressa! Até eu fiquei um pouco confusa com os personagens e imagino que você só tenha citado alguns... Mais achei super bacana a ideia geral do livro e como ele fala das pessoas que perdemos... Entre outras coisas...
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Hey, Andressa!
    Não há dúvida de que a capa deste livro é linda. Não o conhecia. O andamento da história me pareceu ser gostoso... Gosto de leituras assim.

    Abs

    ResponderExcluir
  17. Oi Andressa, eu achei essa capa linda e gostei da premissa deste livro. Parece ser uma história bonita e espero gostar assim como você gostou.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir