Resenha - A Sabedora da Transformação


A Sabedoria a transformação 
Autora: Monja Coen 
Editora: Planeta
Gênero: Literatura Brasileira / Auto Ajuda/ Reflexão
Páginas: 190
Sinopse: Skoob

Avaliação:

Olá, tudo bem com você? 

Logo que vi este livro da Monja Coen na lista de lançamentos da editora Planeta fique com muita vontade de ler, eu tive o prazer de conhece-la pessoalmente e ela é aquele tipo de pessoa que só de ver e ouvir falar consegue transmitir coisas boas e energias positivas, então resolvi me aventurar nesta leitura que muito me surpreendeu. 

Apesar do livro ser categorizado como auto ajuda, Monja Coen começa relatando histórias para reflexão sabe aquelas histórias que tem explicação no final para aplicar á sua vida? Então no começo do livro são essas histórias que é apresentada e com as opiniões e sugestões da Monja Coen para sua vida. 

Alguns textos são bem profundos fazem refletir em algumas coisas da vida e agora no começo do ano acho que venho bem a calhar pois todos estamos cheio de esperança de um ano novo melhor não só para mim mas também para o próximo. 

A mensagem que a Monja Coen passa para trabalhar no coletivo sempre é bem importante, em um mundo que se torna cada dia mais individualista essa mensagem se torna bem importante e espero que mais pessoas possam ler e refletir suas mensagens. 

Página 32
Este exemplo serve para nos lembrar de que, mesmo quando temos dificuldades em compreender, não quer dizer que jamais iremos entender. O amadurecimento de um ser humano é como o de uma planta, de uma flor. Não podemos forçar para que se abra, pois suas pétalas quebrariam. As vezes, ficamos impacientes com pessoas próximas de nós. Como se tivessem a obrigação de entender, de perceber, de amadurecer o seu olhar maior. E nos esquecemos de que tem seu tempo.

O livro por se tratar de mensagens de reflexão se torna ideal para ser lidos aos poucos, pois a cada dia temos uma visão e um aprendizado diferente, não que ser lido de uma vez só seja ruim mas acho que cada mensagem passa uma mensagem para cada dia especifico de acordo com sua energia e estado de espírito.

Apesar de ser narrado por uma Monja o livro em nenhum momento aborda a religião do budismo, para quem estava em busca de novos ensinamentos dessa religião definitivamente este não é o livro para este tema específico, porém por outro lado o livro pode agradar a todos, pois as mensagens que são passadas são de uso do ser humano, como paciência, amor, amizade, lealdade, passividade e amor ao próximo coisas que independem da religião para termos.

Página 44
Um Samurai (espadachim  do Japão Antigo) estava repousando debaixo de uma árvore quando passou um monge budista. Ele não acreditava em nenhuma tradição espiritual. Era um homem duro e seco. Quantas vezes desembainhara sua espada? Quantos corpos havia mutilado? Quantos por sua lâmina haviam morrido? Já perdera a conta. Ao ver o monge, chamou-o e o interpelou: " Essa história de céu e inferno que vocês, budistas, contam é pura mentira. Onde fica esse céu, essa terra pura? E onde está o inferno?".
O monge o escutou atentamente e, em seguida, respondeu:
"Você é um samurai muito burro e lento. Sua espada não serve para coisa alguma". Furioso. o samurai se levantou e começou a desembainhar a espada: "Como ousa falar assim comigo?". O monge disse, sorrindo : "Isso é o inferno." O samurai parou e, em vez de tirar a espada da bainha, colocou-a mais para dentro. "Isso é o céu", disse o monge e continuou sua caminhada.

A Monja Coen também fala da importância de manter o corpo saudável de praticar esportes e conseguir viver de uma maneira mais saudável, ela mesma fala que pratica corrida de 5 Km e também gosta de praticar Yoga.

Página 133
Cada obstáculo é uma oportunidade de crescimento e aprendizado.
Levante-se e corra, caminhe, movimente-se.
Você é movimento, atividade.
Canse o corpo e repouse a mente.  
Para quem deseja novas mensagens, novas inspirações principalmente agora que o ano começa este livro é uma ótima pedida e com certeza vai fazer você ver o mundo e sua vida de outra forma e tentar arrumar o que precisa para sua vida caminhar da melhor maneira possível. 

Beijos 

Até mais... 




25 comentários :

  1. Não gosto de auto ajuda e nunca tive paciência para ler livros com mensagens de reflexão.
    Mesmo assim, gostei da indicação.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei bem curiosa pra ler esse livro, apesar de não ler muito auto ajuda essa parece ser bem legal, livros reflexivos pra mim são ótimos na maioria das vezes. E que bom que não aborda a religião do budismo!
    Amei a resenha! Bjs, Dressa <3

    ResponderExcluir
  3. Oi Dressa!
    Já ouvi falar muito da Monja Coen, minha mãe costuma ler bastante os livros dela. Fiquei curiosa para ler esse livro, parece ser bastante reflexivo, ainda mais nessa época do ano, como você disse.
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu não sou fã de livros de auto-ajuda mas acho que como ele é contando histórias que dão lições de vida, já vejo com outros olhos, pois é sempre bom vermos superação de outras pessoas para inspirar nossa vida, ou perceber o quando a gente reclama dela.

    http://www.angelimcosmeticos.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bom?
    Gostei da resenha, não sou fã de livro do gênero, então não pretendo ler ele, pois não curto auto-ajuda, também não tinha ouvido falar do livro ainda.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  6. Concordo que reflexões devem ser lidas aos poucos mesmo.
    Acho legal esses livros que a editora Planeta publica. É a primeira resenha que vejo desse, e já gostei.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oi Andressa!
    Nunca fui fã de livros de auto-ajuda ou reflexão. Para mim, as reflexões são pessoais, sem um "guia", por assim dizer. Mas entendo a importância para algumas pessoas, pois acaba funcionando como um "pontapé" ;P

    .~. Livros & Cores – Artigo "Liberdade de expressão na Literatura"

    ResponderExcluir
  8. Este é um estilo do qual não costumo ler. Apesar de ser auto ajuda, o que gosto. Mas o livro parece ser daqueles que passam energias boas e calma. O que necessito há um bom tempo. Reflexão também, uma coisa útil e que nos ajuda no cotidiano. Queria começar a correr, mas aqui é tão quente e tão cheio de tarados, que nossa! Nem dá vontade de sair na rua. Um livro assim, no início de um ano, é bom mesmo.
    Abraços Andressa,
    ThayQ.

    ResponderExcluir
  9. Este livro está bem longe de ser do gênero que gosto de ler. Assim como você, também acho que esse livro deve ser lido em doses homeopáticas. Nesse momento, ão sei se o leria, mas quem sabe em um futuro um pouco mais distante, né?!?!

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  10. Oi, Andressa.

    As vezes eu gosto de ler alguns livros do gênero Auto ajuda. Essa leitura parecer ser bem reflexiva pela sua resenha. Quem sabe depois eu não tento. E vou seguir seu conselho e ir lendo devagar.

    Beijos.
    Visite: Paradise Books BR // Sorteio Fim de ano

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem?
    Logo quando li o título já soube que era de autoajuda.
    Gostei muito da Monja Coen quando foi para o The Noite (Sbt), mostrou ser uma pessoa bem vivida, inteligente. Adoraria conhecer o resto de suas reflexões, aquela frase que você retirou da obra é bem profunda, tanto que até postei no facebook KKKKKKKKKK
    Ótima resenha.
    bjs

    ResponderExcluir
  12. Este não me interessou no momento.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  13. Não me interesso por esse gênero de leitura, mas a sua resenha foi muito esclarecedora, procurarei saber mais sobre a Monja Coen e suas reflexões!

    ResponderExcluir
  14. Hey, Andressa!
    Não gostei muito da capa do livro e nem do conteúdo :/
    Livros assim não conseguem me prender e me dá muita agonia... Não sei explicar com palavras o porque disso.

    Abs

    ResponderExcluir
  15. Oi Andressa,
    Não sou muito fã do gênero Auto ajuda. E capa poderia ter ficado melhor sem esse/essa pessoa ai nela. :/
    Mais algumas partes da resenha me fez parar pra pensar. Realmente vivemos num mundo egoísta e individualista e nada de bom pode acontecer futuramente se continuarmos assim. :/
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Nunca li nada de Auto ajuda, mas parece que esse livro é muito mais do que isso. Vi uma entrevista dessa Monja no The Noite e acredito que ela tenha muita sabedoria para transmitir.
    Um grande beijo

    http://vidasempretoebranco.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Oi Andressa, tudo bem?

    Esse tipo de livro não é bem o que eu leio, mas como neste ano estou tentando ampliar meu estilo literário pode ser que eu acabe lendo.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi Dressa.
    Parece ser um ótimo livro pra se refletir e pra melhorar mas não é um livro que eu leia, não consigo gostar desse gênero.

    ResponderExcluir
  19. Heey!!
    Aah, eu não gosto de livros de auto ajuda, não me interesso pelas mensagens que eles têm a passar... Não sei se é porque os poucos que li pareciam, a meu ver, me tratar como se eu estivesse em profunda depressão e tals... Contudo adorei ler sua resenha ^^. Talvez eu leia esse livro, afinal ele contém uma história também, não somente uma mensagem jogada nas páginas, como muitos livros por aí haha
    Abraços!!
    http://enjoythelittllethingss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Não sou fã de auto ajuda =( e exercícios físicos não são muito a minha praia hehe. Alguns trechos eu toparia ler, mas o livro inteiro não.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  21. Não é um livro que eu leria no momento. Porém, adoro refletir. O livro é bem curtinho e a leitura deve ser bem fluída.

    Beijos,

    Amy - Macchiato



    ResponderExcluir
  22. Oi Dessa!!!
    Desculpa mas não consigo ler muitos livros de auto-ajuda.
    Paraece que eu começo a ler e sempre durmo... mas tem muita gente que gosta, e também tem uns que até gosto como Augusto Cury (poucos)
    Não faz muito meu estilo, mas sempre adoro frases motivadoras.
    Beijo,

    ResponderExcluir
  23. Oii. Gosto de livros com mensagens positivas, apesar de ter lido um livro do gênero até hoje (e não foi lá muito agradável). Acho que a leitura de livros assim dependem de como está seu ânimo, não deveria ser lido quando está na fossa e sim quando você está de bem com a vida, porque aí sua visão vai só melhorar.
    E e autora tem uma cara de paz, de bem com a vida, de pessoa zen kkkkk
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Que sortuda em conhecer a Monja Coen eu sempre quis conhecer ela e muito legal quando você chega perto de algum e sente energias positivas já falarem muito dela e quero ler o livro que ela lançou tenho certeza que quando termina de ler foi me sentir bem melhor !!

    ResponderExcluir
  25. Eu jamais estive em contato com um monge ou monja, no caso, acho que deve ser interessante, caso realmente haja essa "transmissão" de boas energias.
    Não estou habituada a ler livros com essa temática, mas achei um bom livro, com boas mensagens.
    Provavelmente não o lerei, não por agora, mas não deixou de me agradar, de certa forma.

    ResponderExcluir