Resenha Esplendor da Honra

Esplendor da Honra

Autor: Julie Garwood
Editora: Universo dos Livros
Gênero: Literatura Estrangeira / Romance
Páginas: 416
Sinopse: Skoob
Avaliação: 
 

"Esplendor da Honra" tem como protagonistas lady Madeline e Duncan, o barão de Wexton, conhecido como o Lobo.

Madelyne viveu com seu tio materno por uma década. Logo após a morte de sua mãe, seu pai e seu meio-irmão Louddon, eram cruéis com ela. Como uma garotinha, ela não compreendia tais ações. Não era lógico para a Madelyne o desprezo do seu pai ou o sadismo do meio-irmão.

Tudo o que ela queria era que o pai a amasse, mas o distanciamento foi aumentando até o dia da morte do barão. Louddon herda o título e a manda para longe. O que foi uma benção para a protagonista. Seu tio é um padre que vive nas terras de um senhor que como ele, é idoso. Então Madelyne cresceu no isolamento, mas na companhia dos livros e das histórias contadas pelo Padre Berton. Apesar de ter sido ensinada em segredo (pois não era permitido para as mulheres lerem e escreverem na época), Madelyne apaixonou-se, principalmente pelas histórias mitológicas, onde havia heróis que realizam feitos extraordinários.

Agora, o ano é 1099 e Madelyne teve que retornar para as terras de seu irmão. Apesar de o seu retorno ter acontecido há poucos meses, foi o suficiente para a protagonista planejar uma fuga. O que Madelyne não esperava era ter que ajudar um enorme guerreiro que se tornou prisioneiro de Louddon.

Duncan tem contas a acertar com Louddon. Afinal, quando Adela, a irmã mais nova de Duncan esteve na Inglaterra, foi violentada pelo Louddon e agora se encontra enlouquecida no castelo do Lobo na Escócia.

O que Madelyne não sabe é que Duncan quis ser capturado e tinha como objetivo sequestrar a irmã do barão. Afinal, olho por olho é uma vingança justa.

Em meio aos acontecimentos, Madelyne coloca a si mesmo em perigo para salvar o guerreiro, sem saber dos seus planos, que foram alterados após o ato altruísta da mocinha.

Duncan tem um novo plano: manter Madelyne para si.

"Duncan a ouviu. Um sorriso lento se formou em seu rosto. O que Lady Madelyne desejava não era importante para ele. Sim, ela lhe pertencia agora, quisesse ou não." (p. 31)

Inicialmente, Duncan desconfia das ações de Madelyne, mas ao descobrir o que ela sofreu, fica cada vez mais apegado a ela. Porém, seus irmãos e irmã não farão uma recepção tão calorosa na Escócia, já que Madelyne é irmã do inimigo.

Mas Madelyne tem seu jeitinho próprio, uma personalidade forte que ao mesmo tempo inspira confiança e carinho. Para ela, transformar o castelo escocês que parece mais uma fortaleza em um lar de verdade, é o primeiro passo para sentir-se pela primeira vez da vida, feliz.

Duncan tem um jeito bruto e ríspido, até mesmo com os irmãos e com o seu clã, mas Madelyne consegue enxergar através disso e não se assusta com esse bravo guerreiro. Em contrapartida, Duncan fica assustado com Madelyne. Afinal, como alguém tão pequena pode ser tão resiliente e teimosa?

O relacionamento do casal vai sendo construído aos poucos. A confiança, a atração e o amor são moldados conforme os dois vão passando por situações difíceis.

“Esplendor da Honra” é uma obra com elementos primordiais em um romance histórico: uma mocinha com um passado sofrido, um escocês turrão e um enredo bem delineado.

"A vingança de Duncan era um castigo adequado aos pecados de seu irmão. A justiça estava sendo feita naquela noite escura por um bárbaro em trajes de cavaleiro, um radical que, segundo o modo de pensar de Madelyne, ousava ignorar a influente amizade de Louddon com o Rei da Inglaterra." (p. 25)
 

Nenhum comentário :

Postar um comentário