Resenha: Alien #3 - Rio de Sofrimento

Alien #3 - Rio de Sofrimento

Autora: Christopher Golden
Editora: Leya
Gênero:  Literatura Estrangeira / Terror
Páginas: 304
 Sinopse: Skoob

Avaliação:
“Rio de sofrimento” gira em torno principalmente da colonização do planeta LV426, palco dos acontecimentos dos livros anteriores. Agora o planeta é conhecido como Aqueronte e encontra-se nos estágios iniciais da montagem da colônia.

"A colônia - batizada de Hadley's Hope em homenagem a um dos seus idealizadores - era um empreendimento patrocinado pelo governo da Terra em conjunto com a Corporação Weyland-Yutani e dirigido pela administração colonial, supostamente de acordo com todas as regras estabelecidas pela Comissão de Comércio Interestelar. O próprio Aqueronte não era de fato um planeta, embora as pessoas se referissem a ele dessa forma. Era uma rocha no meio do nada, um dos satélites de um planeta chamado Calpamos." (p. 14)

Quem acompanha a série, sabe que a Corporação Weyland-Yutani tem sempre objetivos próprios e não se importa com a perda de vidas desde que suas metas sejam atingidas. Então, é possível teorizar que a colonização de Arqueronte está diretamente ligada ao que foi encontrado lá anteriormente.

Porém, os habitantes não tem ideia disso. São famílias procurando uma maneira de se sustentar, com crianças e jovens que estão tendo Aqueronte como seu lar. Uma dessas famílias são os Jordens. Anne e Russ são garimpeiros que tiveram Rebecca, a primeira criança nascida na colônia. Rebecca é uma criança peculiar, muito precoce e inteligente para sua pouca idade. A forma como ela consegue entender as coisas é estimulante e junto com seu irmão mais velho e as demais crianças, ela vai crescendo no meio desse planeta inóspito.

A chegada do capitão Demian Breckett é o ponto de partida para a ação propriamente dita no livro. Ele é um soldado fiel, que não concorda como as coisas estão sendo administradas em Aqueronte, principalmente pelo fato da Weyland-Yutani estar usando os soldados do governo como sua equipe pessoal de segurança. Ao chegar ao planeta, ele precisa ser capaz de distinguir a corrupção e os planos secundários que estão sendo desenvolvidos lá.

Porém, o que Demian realmente mais quer é ficar próximo de Anne, seu grande amor. Demian abriu mão do amor para seguir sua carreira e rever Anne e conhecer sua família começa a remexer seus sentimentos. Mas ele não terá tempo para analisar seus sentimentos, quando uma descoberta irá começar a exterminar toda a colônia.


"Quem quer que tivesse batizado LV426 com aquele nome havia reconhecido o absurdo de tudo aquilo. Na mitologia grega, Aqueronte tinha sido um dos rios que percorriam o mundo inferior. O significado da palavra era sombrio. Rio de Sofrimento." (p. 16)

O livro segue o mesmo ritmo dos livros anteriores e ainda conta com outra história intercalando em tempo e espaço o enredo principal. É a jornada de Ripley e o que aconteceu na nave Nostromo até o momento da personagem ser acordada de seu hipersono.


"A Nostromo atravessava o sistema Zeta-E-Reticuli transportando vinte milhões de toneladas de minério destinados ao planeta Terra quando o computador de bordo da nave, denominado Mãe, interceptara um sinal de socorro de um planetoide conhecido por LV426." (p. 07) 

Nenhum comentário :

Postar um comentário