Resenha: Para depois que eu partir

Para depois que eu partir

Autora: Heather McManamy /William Croyle
Editora: Universo dos livros
Gênero: Biografia, Autobiografia, Memórias / Literatura Estrangeira / Não-ficção
Páginas: 192
Sinopse: Skoob

Avaliação:

  
Esta é uma história real e muito tocante de uma mãe com câncer em estágio terminal, que decide deixar mensagens para sua filha, para que em sua ausência física possa estar presente de alguma maneira.

"Esteja você prestes a morrer com a idade de 36, 66 ou 96, a vida sempre lhe parecerá muito curta se você não vivê-la de fato. Encontre a sua esperança. E nunca se esqueça de que cada dia conta."

Como mãe confesso que isso é algo que sempre me apavora; a possibilidade de não estar presente para criar e amar meus filhos, acompanhando o curso de suas vidas e apoiando-os sempre que necessário. 

Ao iniciar essa história eu já estava me debulhando em lágrimas, pois sou dessas.. Senti com minha alma e todo meu ser os relatos dessa mãe e não tem como sair impune de sentimentos que irão te devastar e abrir seus olhos para uma vida mais plena de realizações, mesmo que simples e pequenas, mas realizações que lhe trará grande alegria ou paz, ou amor.. 

"Eu amava a minha vida. Ela era perfeita. Eu era a esposa de 33 anos de um marido maravilhoso e mãe da garotinha mais linda do mundo. Tinha um trabalho que eu simplesmente adorava. Tínhamos uma casa modesta e confortável. É sério.. Eu estava vivendo um sonho."

Bom.. Heather, mãe e esposa, feliz e realizada, de repente descobre um caroço em seu seio e se pergunta de onde veio isso?.. Afinal ela não percebeu antes. E então as cores do seu mundo começam a desbotar e momentos de puro terror e impotência surgem. A surpresa inicial de encontrar um caroço em seu seio, no mundo moderno que vivemos fez Heather dar um "Google" em "caroço no seio" na esperança de que a palavra tão temida por muitas mulheres não aparecesse: "câncer". Mas .. Claro que no mundo real, as coisas são o que são e ao ir ao médico veio a bomba - "câncer se mama estágio II". Pouco tempo após esse diagnóstico, Heather passou por uma mastectomia dupla e deu início a quimioterapia por mais de um ano.. Mas infelizmente o câncer continuou avançando e vencendo se tornando terminal se espalhando para ossos e fígado, agora estágio IV e um máximo de dois anos de vida a partir daí. E não para nunca; depois disso foi só notícias ruins. 

Achei interessante a forma como o médico lhe dei a notícia e se referiu ao que viria - "Será como um passeio infernal de.montanha-russa". "Você vai receber uma notícia ruim atrás da outra. E precisa se segurar firme pelo máximo de tempo que conseguir."

Eu, leitora ser humano e mãe, apenas posso imaginar o choque e agonia em tal situação. 

Porém por mais que tudo estivesse desabando, Heather viu que o mundo continua, as coisas fluem, as pessoas seguem o fluxo, o mundo não para porque você tem câncer terminal e cada momento passa a ser como o último.. Com.isso essa mãe e esposa tira forças inimagináveis sabendo que seu esposo e filha precisam dela; então mesmo sabendo que o fim é certo e a cada dia mais próximo dedicou-se a assumir as rédeas de todos os momentos que lhe restasse, tornando cada um deles únicos e especiais. 

Essa história, como disse no começo da minha resenha é de tocar o coração e tenho certeza que ninguém sai imune a mensagem deixada e implícita em suas páginas.

"Eu tive uma vida incrível, com zero arrependimentos. Ter câncer é terrível, mas tenho que lhe dar crédito por abrir meus olhos a tantas oportunidades incríveis - oportunidades que sempre estiveram lá, mas que eu não aproveitei antes do câncer, porque não vivia cada dia como se fosse meu último. Não espere ter câncer ou alguma outra doença ou circunstância devastadora para força-lo a encontrar sua esperança. Encontre-a agora. Busque raiozinhos de esperança em tudo o que fizer. Minha esperança maior e fonte de todos esses preciosos raiozinhos foi minha família."

Após uma publicação pessoal no face em que Heather diz ter comprado cartões de felicitações para sua filha Bri, no intuito de deixar algo de si para cada momento de sua pequena.. Um amigo sugere que ela dê mais um "google" com a frase "mãe morrendo" e sua história estava no toda rede, pairando por todo o mundo em diversas línguas, então se formou mais um propósito de deixar o livro "Para deois que eu partir" não apenas como uma forma de se expressar, mas como um presente para todos aqueles que ela ama e também para você leitor e para mim. 

"Eu fui verdadeiramente abençoada por ter sido capaz de compartilhar catorze anos com o amor da minha vida e mais de quatro anos e meio com a minha linda e saudável filha."

Ao ler essa história percebemos que mesmo o câncer sendo devastador ele também trouxe vários momentos únicos para Heather e percepções que antes apenas pairavam passando despercebidos. Heather, conseguiu transmitir sua mensagem com êxito e recheado de sentimentos reais e palpáveis, que me fez refletir muito. Apesar de ter um tema forte, como uma doença terminal e morte.. Também fala de amor, esperança, compaixão, entre outros. 

"Agora que você está terminando o livro, por favor, faça-me um favor: deixe o livro de lado e tome alguns minutos dessa frágil montanha-russa chamada vida. Como? Faça algo que você sempre quis fazer, mas nunca tentou. Dê um abraço inesperado em alguém. Vá ver o por do sol. Ligue ou mande uma mensagem para alguém com quem você não fala há algum tempo. Faça as pazes com as pessoas. Viva. Ria. Ame. Muito. E então, depois de fazer seja lá o que você decidir fazer crie o hábito de todos os dias continuar a festejar a vida de alguma forma. Apenas alguns minutos por dia. Acredite, você verá e sentirás diferença em sua vida."





Nenhum comentário :

Postar um comentário