Resenha - Fera

Fera

Autor: Brie Spangler
Editora: Seguinte
Gênero:  Literatura Estrangeira / LGBT
Páginas: 384
Sinopse: Skoob
Avaliação:




"Todo mundo adora me lembrar da minha aparência. Como se eu não tivesse espelho em casa."

Dylan é um jovem que não se encaixa de jeito nenhum. Ele é alto demais, peludo demais, estranho demais! Pelo menos é assim que as pessoas costumam ver e se referir a ele. Com um metro e noventa e três, seus "colegas" de escola e as pessoas na rua sempre encontram uma forma de fazer ele se sentir ainda mais estranho do que ele mesmo se sente. Ele chama mais atenção do que gostaria e parece que isso nunca irá mudar.

O "melhor amigo" de Dylan é o JP desde a infância e na escola andam juntos. Sendo que enquanto Dylan é esquisitão, JP é o menino mais popular da escola, além de podre de rico. Não sei se podemos chamar essa relação de "amizade de mão dupla", mas é como é; Dylan intimida àqueles que incomodam JP e aguenta certas "brincadeiras inofensivas", como seu "novo corte de cabelo" entre outros.

Em dado momento ele sobe no telhado e cai, quebrando sua perna, o que o faz passar por uma cirurgia e ter uma estadia básica no hospital. O médico percebe que Dylan tem problemas sociais e consigo mesmo, recomendando fortemente terapia em grupo; quem sabe assim Dylan possa encontrar seu caminho no mundo ao invés de cada vez mais se afundar em um ciclo de auto críticas e depressão ou coisa pior.

" -Posso fazer alguma coisa por você?
Uma reformulação genética completa.
-Não."

O pai de Dylan morreu de câncer quando ele tinha apenas onze anos e percebemos o quanto um pai faz falta na vida de um filho; ainda mais com tantas semelhanças entre eles; uma das coisas preocupantes nessas semelhanças envolve sua genética, tamanho e afins o que faz com que a preocupação de também desenvolver um câncer possa vir a acontecer; seu pai ainda era jovem quando aconteceu. Dylan mantém sua memória viva e seu amor sempre aparente. Ele tenta "se conectar com seu pai" seja lá onde ele estiver, mas é como falar sozinho, diferente do que sua mãe demonstra, sempre mantendo o pai tão presente como se ele jamais tivesse partido. Para Dylan seu pai faz parte da história e sempre fará parte de si!

" - Você se parece tanto com seu pai - ela murmura. Com certeza. Me ver preso aos tubos, careca e mais pálido do que a parede devia ser como voltar para a época em que meu enorme pai estava esparramado em uma cama como aquela."

Sua mãe é a pessoa mais generosa e bondosa do mundo e muitas vezes ela se esforça demais para ajudar e acaba deixando ele mais constrangido ainda. Ela acaba convencendo ele a fazer a tal terapia onde conhece Jamie, uma garota diferente de qualquer outra que já conheceu e conforme vão tendo contato ele se apaixona.

Porém ao encontrar Jamie na escola ele descobre bem mais do que imaginava a seu respeito; Jamie não é uma menina, ou melhor não nasceu menina, mas sente-se como uma. Ela é transgênera. Nasceu menino, mas se sente como menina. Como se você tivesse nascido no corpo errado! E a partir daí mais problemas surgem, pois por mais que Dylan seja o "estranho" da escola não quer ser ainda mais "estranho" por estar com Jamie; ser visto com Jamie. E a partir daí, ainda mais sentimentos conflitantes passam a fazer parte da cabeça de Dylan.

No começo, pensamos.. Ah! É apenas mais um romance, mas uma história qualquer onde passar pela adolescência é difícil e no meio disso encontra-se aquela pessoa que te faz sentir especial! Mais não! A história é bem mais do que aparenta, trazendo um misto de sentimentos que vai desde a dor da perda, à aceitação social, à aceitação própria em ser diferente do "normal".. A questões de preconceito de todas as formas; desde a aparência incomum de um jovem alto demais, à uma menina transgênera que também passa por suas lutas pessoais.

A história nos mostra o lado feio do ser humano, quando não nos encaixamos no que a sociedade considera belo ou normal, trás situações verdadeiramente complicadas e ao mesmo tempo reais, pois essa é uma realidade que acontece por aí com alguém, mesmo que não seja da mesma maneira. Fala sobre relações abusivas e interesseiras, amor, ódio, raiva e também esperança, aceitação e superação.

Fera é uma história incrível, com conteúdo que traz muito mais do que se espera e nos faz verdadeiramente refletir e torcer pelos personagens como se eles fossem velhos conhecidos!

Nenhum comentário :

Postar um comentário