Resenha: Gigantes Adormecidos

Gigantes Adormecidos
Série: Themis Files 1

Autor: Sylvain Neuvel
Editora: Suma de Letras
Gênero: Ficção científica
Páginas: 328
Sinopse: Skoob

Avaliação:

"Gigantes Adormecidos" é o primeiro livro de uma série de ficção científica que prende a atenção do leitor e tem um enredo criativo. A narrativa é dada em forma de entrevista, mas no epílogo temos Rose Franklin, uma menininha de 11 anos, decide pedalar em sua bicicleta nova e, atraída por uma estranha e linda luz azul turquesa em um bosque, acaba caindo em cima de um gigantesco pedaço de metal em forma de uma mão.


"A mão está aberta, com os dedos muito juntos e ligeiramente dobrados. É como se segurasse algo muito precioso ou um punhado de areia e tentasse não derrubar nada. Existem sulcos como os que na pele humana normalmente se dobram, e outros que parecem meramente decorativos. Todos emitem o mesmo brilho turquesa, que mostra a iridescência do metal. A mão parece forte, mas… sofisticada é a única palavra que me vem à mente. Acho que é uma mão feminina."

Rose Franklin será uma das protagonistas da história, que terá sua vida apresentada ao leitor desde o encontro com essa mão. A partir daí, vamos conhecendo a trajetória dessa personagem que quando adulta torna-se em uma PhD em Física.

Em paralelo, temos a história da 3ª Subtenente Kara Resnik e o 4º Subtenente Ryan Mitchell. Os dois estão em uma missão quando encontram um braço enterrado. Um braço que tem as mesmas característica da mão encontrada por Rose...

Para completar a equipe, temos Vincent Couture. Vincent é um jovem muito inteligente que foi capaz de decifrar alguns códigos que estavam na mão e no braço encontrado. Esses quatro personagens são contatados por um homem sem identificação que propõe que eles formem uma equipe para estudar a origem desses artefatos e investigar o motivo deles estarem na Terra.

Cada um desses personagens traz para a história uma peculiaridade particular, própria de suas personalidades. Eles se complementam muito bem, trazendo sagacidade, inteligência e agrega aos diálogos percepções diferentes sobre o mesmo assunto.


"– Gosta de histórias? Espero que sim, porque vou contar uma que ouvi na infância … Preparando-se para uma guerra inevitável, o imperador construiu máquinas gigantescas à imagem e à semelhança de seu povo. Eram armas indestrutíveis e tão poderosas que poderiam acabar com uma pequena cidade ou matar dez mil homens em questão de segundos. …Passaram-se anos, séculos, e a guerra nunca aconteceu. Depois de dois mil anos, as máquinas foram retiradas da colônia. Uma foi deixada para trás, uma gigante chamada dhehméys pelo povo. Após ser desmontada, as partes foram espalhadas pela colônia. Acreditava-se que, quando o povo alcançasse determinado estágio em sua evolução, seria capaz de reencontrar a máquina e usá-la para se defender, caso a guerra acontecesse."


Nenhum comentário :

Postar um comentário