Resenha - A Parte Que Falta

A Parte Que Falta
Autor: Shel Silverstein
Editora: Companhia das Letrinhas
Gênero: Poesia / Literatura Infantil / Literatura Infantojuvenil
Página: 112
 Sinopse: Skoob

Avaliação:

Acredito que muitos ficaram sabendo da existência de A Parte Que Falta, um livro infantil publicado originalmente aqui no Brasil pela finada Cosac Naif, depois do vídeo que a youtuber Jout Jout compartilhou em seu canal. O vídeo em questão apareceu em todas as redes sociais, no Twitter, no Facebook, até em grupos de WhatsApp e a grande questão que fez dele um sucesso, foi o fato de que um livro infantil consegue falar tanto e tão profundamente sobre o que é ser humano.

Aqui conheceremos um "ser circular", mas ele não está completo, ele não se sente feliz, falta uma parte nele. Sempre muito positivo e contente, acompanharemos a saga deste serzinho em busca desta parte, da parte que lhe falta. Em sua jornada, acompanharemos o protagonista em uma aventura árdua, cheia de altos e baixos, uma busca de autoconhecimento, com experiências únicas e conhecendo as mais diversas partes. Tudo isso, sem perder, é claro, a oportunidade de conhecer o universo ao seu redor e conhecer um pouco mais sobre si mesmo.

"Não sou a parte que te falta. Não sou parte de ninguém. Sou parte completa."

Esta leitura, que muito provavelmente você poderá concluir em poucos minutos, vai te fazer refletir, você vai perceber que ela é um tapa na cara. É uma singela história que fala sobre aprendizado, descobertas, relações e como pode ser sensível tudo isso. Muito provavelmente, uma criança não irá captar o que está por trás das camadas desta história, pois ao mesmo tempo em que este livrinho consegue ser tão simples e delicado para uma criança, na mesma medida ele consegue ser arrebatador para um adulto e trazer uma mensagem poderosa.

Nós adultos vivemos numa luta constante de tentar encontrar o sentido da vida, a busca pela felicidade e da completude de fato. Nesta busca incessante, muitas vezes achamos que a resposta de tudo está no direcionar nossas expectativas em outras pessoas e está aí o grande erro. Nós não precisamos de ninguém para nos sentirmos completos.

Shel Silverstein dedicou este livro ao público infantil, mas é claramente um livro que pode tocar a todos. Eu tenho certeza que todos poderão se identificar com estas linhas corridas, mas que montam uma verdade gritante. A Parte Que Falta é uma poesia simples, sensível, mas ao mesmo tempo muito, mas muito tocante, profunda e verdadeira. Às vezes a felicidade não está naquilo que nos completa aparentemente, ela já pode estar dentro de nós e só não a percebemos antes por estarmos ocupados demais procurando nos lugares errados.

Assim como nosso querido protagonista, todos nós somos uma forma, não tão completas, as vezes sim, as vezes não mais. O importante é que esta jornada sempre recomece, que nós encontremos nas pequenas coisas o que nos faz feliz e o que nos faz completos, nem que seja por alguns momentos. Este é um livrinho que fala sobre a vida, sobre pessoas, sobre as pessoas que passam por nós, sobre os momentos que vivemos, sejam os felizes ou os mais difíceis... fala sobre amor, tristeza, decepções e recomeços.

Tá aqui minha recomendação de leitura, um livro para se presentear um bom amigo, familiares, e colegas, é o tipo de livro que traz significados diferentes para cada leitor e também significados diferentes dependendo do momento que você está (re)lendo. Enfim, é aquele tipo de edição que só de ter na estante já nos faz feliz, apenas pelo fato da gente poder ler e reler sempre que nos sentirmos incompletos demais.

2 comentários :

  1. Esse livro é de uma sensibilidade gigantesca e ainda assim tão sutil! Eu amei lê-lo e amei ouvi-lo pelo vídeo da JoutJout ☺ É lindo, faz refletir e pensar sobre nós, como partes e seremos humanos inteiros ☺ Os Delírios Literários de Lex

    ResponderExcluir