Resenha - Se não eu, quem vai fazer você feliz?


Se não eu, quem vai fazer você feliz?
Autora: Graziela Gonçalves
Editora: Paralela
Gênero: Biografia / Romance
Páginas: 272
 Sinopse: Skoob

Avaliação:

Olá, tudo bem com vocês?

Eu não sei vocês mas eu amava a banda Charlie Brown Jr, era a banda do momento na minha adolescência e claro fiquei mega triste com a noticia da morte do Chorão.

Quando fiquei sabendo que a Grazi ia lançar o livro fiquei mega ansiosa para ler, e consegui ler super rápido, o livro é bem fácil de ler, tem uma linguagem clara e fiel a banda.

Mas ela conta muitas coisas da banda mesmo, não detalhes do relacionamento dos dois, acho que seria interessante ela ter abordado com mais riqueza de detalhes, como é se relacionar com uma pessoa viciada.

Outras mulheres poderiam se enxergar em uma relação assim e até tentar mudar de vida ou o foco.

Ela conta como eles se conheceram como foi a paixão entre os dois e até os vários momentos de muitas idas e voltas que tiveram, mas é tudo superficial nada muito profundo.

Não sei se ela quis preservar ele ou ela mesma mas estava bem curiosa para saber como tinha sido o relacionamento dos dois.

O fator drogas só entra no meio do livro e já com um Chorão revoltado com a banda e triste com as brigas e possível separação da banda, mas acho que quem foi fã da banda sabia que ele sempre usou droga ele não se afundou por algum motivo específico, ele já usava e só foi aumentando, talvez como uma válvula de escape para fugir dos problemas.

Mas é bem triste você saber que ele mudou a vida de tantas pessoas com suas músicas, mas que para ele não servia, acabou optando por seguir outro caminho.

Página 200
As pessoas podem sim ter uma depressão ou uma síndrome do pânico, ninguém é super-homem. A gente vive num mundo de muitas exigências, não há ser humano que consiga lidar com tanta coisa e sair ileso.A vida é complicada, a nossa caminhada tem coisas incríveis, mas também tem dificuldades, desafios e perdas.Temos de aprender o que realmente nos faz felizes e parar de engolir padrões que acabam nos colocando dentro de caixas e nos sufocando.

No livro tem várias fotos deles desde o começo da carreira que ela ajudou muito ele a se lançar como a banda de sucesso que foi e até interrompeu a carreira e vida pessoal para se dedicar mais ao marido e sucesso da banda.

O livro tem seus altos e baixos mas o final ela fecha com chave de ouro juro que me arrepiei lendo as últimas páginas e deu vontade de encontrar a Grazi e dar um abraço bem apertado, porque viver tudo que ela viveu ao lado do Chorão foi lindo, com certeza valeu a pena mas só ela sabe o quanto sofreu quando ele estava sozinho sem a sua proteção até receber a noticia da morte dele.

Página 243
Poucos dias depois, na madrugada do dia 5 para o dia 6 de março, eu tive um sonho estranho, no qual o Alexandre estava em pé diante de mime atrás dele havia um vulto bem alto e escuro. Ele me dizia que iria viajar, que não aguentava mais e  que precisava partir. E eu pedia a ele que ficasse, que não poderia me deixar sozinha. Mas ele insistia que tinha que ir embora.

A mídia com certeza pegou muito pesado com ela e o que já era uma dor deve ter ficado ainda maior com as fofocas.

Página 246
Lidei com o que veio depois: a falação de quem achava que sabia mais da minha vida do que eu mesma; a raiva de estar exposta a tanta maldade de quem nem me conhecia; a imprensa noticiando irresponsavelmente eu o havia abandonado, quando na verdade quem saiu de casa foi ele, me deixando apenas um bilhete na lousa - teve até quem falasse na TV que ele morreu de amor, dando a entender que eu era a culpada -; a descoberta de um lado não tão admirável do homem da minha vida, na sua fase mais difícil, pouco ante de morrer - isso incluía infidelidades e mentiras, o que me machucou profundamente dada toda a cumplicidade durante nossa vida juntos.

Mas que bom que tudo isso passou e hoje ela pode escrever um livro e dar a sua versão para os fatos.

Página 248
Aprendi que pessoas que convivem com alguém com algum tipo de dependência também ficam doentes e precisam ser tratadas. A maioria se torna co dependente, criando um vínculo de  dependência emocional com o usuário e  com a ilusão de que se pode controlar a situação.


Obrigada Grazi por compartilhar sua história com a gente e obrigada editora Paralela por acreditarem também.


Beijos

Até mais!





Um comentário :

  1. Esse livro deve ser uma verdadeira história de amor incondicional. Que ela encontre alguém que a ame tanto assim.

    ResponderExcluir