Resenha: O Assassinato do Comendador

O Assassinato do Comendador
Autora: Haruki Murakami
Editora: Alfaguara
Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira
Páginas:360
 Sinopse: Skoob
Avaliação:


Olá. Hoje a resenha é sobre um livro de Haruki Murakami, um autor que eu conheci quando fui presentear uma amiga secreta e não resisti a ler o livro e então me apaixonei pela escrita do autor.
Para quem nunca ouviu falar do autor.. Vocês não sabem o que estão perdendo! Simples assim! Uma história que trás um misto de sensações que não consigo descrever em sua totalidade. 

Neste volume, conheceremos um pintor de trinta e seis anos, nome?, desconhecido. Este pintor é especialista em retratos e sua vida é comum até que de repente ele é pego de surpresa quando se vê abandonado por sua esposa de seis anos sem  mais nem menos. Ele acreditava estar vivendo uma vida estável ao lado de Yuzu e até mesmo feliz, porém parece que não era bem assim. Nosso protagonista sem entender o que tinha acontecido, dá um tempo em uma viagem, até que quando retorna vai viver em outro local ofertado por um amigo. Um lugar isolado no alto de uma montanha e nosso protagonista vê nisso uma chance de se conectar com a pintura e poder produzir um trabalho diferente daquele que vinha produzindo. Afinal, um lugar assim só poderia servir de inspiração. Mas nada sai como o esperado e a inspiração que tanto acreditava que encontraria não vem, e meses depois ele se vê do mesmo de volta ao ponto de início, sem nenhuma produção, quando ele acha uma pintura do antigo morador da residência, que também era um pintor, porém conhecido, mas que o destino fez experimentar uma vida ingrata com o surgimento do Alzheimer e a vida em um asilo. A pintura encontrada tem o nome de "O Assassinato do Comendador". Essa pintura não faz parte da coleção pública de Tomohiko (o pintor famoso) e essa pintura soa fascinante, pois é diferente de tudo que Tomohiko costumava pintar, as imagens de dois homens em o que parece ser um duelo mortal, onde o mais velho deles acaba morto é hipnotizante, realista e parece saltar da tela. Isso mantém nosso protagonista em uma espécie de adoração e êxtase.

Em uma observação mais atenta percebemos junto com nosso protagonista que as representações no quadro não condiz com o título, uma vez que o mesmo retrata uma época que não tem muita relação com o titulo, porém o quadro em questão pode ter muito mais história do que se imagina em um primeiro momento, remetendo ao período nazista e a podemos perceber elementos históricos juntamente com a escrita maravilhosa do autor. 

A história é rica, intrigante e interessante. Muito bem ambientada e perfeitamente detalhada e entrelaçada. Recomendo demais, não apenas esse livro, mas todos os outros do autor. 

Beijos.

Nenhum comentário :

Postar um comentário