Resenha: O Corvo

O Corvo

Editora: Companhia das Letras
Gênero: Literatura Estrangeira
Páginas: 200
 Sinopse: Skoob
Avaliação:

Olá leitores, como estão? Hoje a resenha é de um clássico publicado originalmente em 1845, desde então a história já passou por várias traduções e hoje estamos aqui com essa edição maravilhosa lançada pela Companhia das Letras. Edição capa dura, folhas amarelas e ilustrações que dão um ar especial a essa obra. 

A história (resumo simples) trás um estudante, sofrido, torturado pela perda de Lenore, seu grande amor, e que está em casa em uma noite fria e de tempestade, quando de repente se depara com batidas em sua janela que o assustam muito, e com isso ele tenta racionalmente achar explicações sãs para o que ele está ouvindo, sentindo, imaginando; porém nada, nem palavras, ou coerência, fazem parte de qualquer possível explicação, caso ele pudesse expressar seus sentimentos e pensamentos!

Ao perceber que todo o seu pavor é na realidade um corvo preto, isso acaba deixando ele surpreso e curioso. Tudo se torna ridículo por um tempo, todo seu medo, seus pensamentos desconexos e etc. Em uma tentativa de parecer engraçado ou descontraído, depois do susto que levou com as batidas em sua janela e com sua própria sanidade, imaginando aparições e seja lá o que mais, ele pergunta ao corvo seu nome, porém para seu absoluto pânico e pavor, o corvo responde: NUNCA MAIS.

Apesar de um completo pânico, medo, e toda racionalidade que fugiu de si naquele instante, o rapaz começa a fazer um interrogatório ao Corvo, porém a única resposta que ele consegue obter do pássaro é NUNCA MAIS. O rapaz está ávido por saber mais sobre o corvo, ou a morte e tantas outras coisas que o impele a seguir adiante em sua busca por respostas.

Um rapaz obcecado pela morte, devastado pela perda de uma mulher bela.. 

O Corvo é um dos poemas mais conhecidos do autor Edgard Allan Poe e esta edição nos é apresentada não apenas por um único tradutor e sim por Machado de Assis, que bate mais em cima da interpretação e a de Fernando Pessoa que é mais parecido ao original. Além desses dois nomes tão conhecidos, também temos Paulo Henriques Britto que trás posfácios das duas partes do livro, The Raven e o poema original de Poe na primeira parte do livro, e na segunda parte temos três ensaios de Poe sobre poesia

Nesta edição poderemos ver uma análise técnica do poema, o que pode tornar a leitura desinteressante para muitos, mas acabou sendo uma leitura de extremo interesse para mim, pois estou cursando Língua Portuguesa, e com isso pude aprender mais um pouco, e também experimentar meu conhecimento em cima de coisas já estudadas no semestre anterior. 

Eu gostei mais do primeiro ensaio do livro, pois ali eu pude perceber de fato coisas que eu não sabia sobre a concepção da obra, vindas do próprio Poe. Bom, a Editora fez um trabalho incrível com esta obra que certamente faz jus a um dos poemas mais conhecidos de Poe!

Um comentário :